• Artista que pinta com os pés e boca faz exposição na Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência

    Foi aberta nessa terça-feira (23), na Galeria Celso Antônio de Menezes, hall do Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), a exposição do artista plástico Lucas Luciano que pinta com os pés e boca. A exposição fica aberta ao público das 8h às 15h, até sexta-feira (26), e integra a programação da I Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência promovida pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), por meio da Comissão e Núcleo Permanentes de Acessibilidade e Inclusão de Pessoa com Deficiência.

    As 10 obras da exposição abordam temáticas variadas, em que ele utiliza as técnicas acrílica e óleo sobre tela. “Costumo passar temporadas pintando com os pés; depois mudo para a pintura com a boca, para ficar exercitando as duas formas”, conta Lucas Luciano, único maranhense a integrar a Associação de Pintores com os Pés e Boca, que reúne mais de 800 membros em 75 países. São telas que retratam casarões de São Luís, animais, paisagens e flores.

    O artista, que completa 20 anos no próximo mês de  dezembro, nasceu no município de Lago da Pedra (MA), com uma deficiência chamada Artrogripose Múltipla Congênita, que lhe causou má formação nos membros superiores e inferiores (braços e pernas). Além da pintura ele também escreve com os pés, tem habilidades com a bola de futebol, fazendo embaixadinhas, e toca teclado com sua banda de música gospel.

    O jovem artista disse que despertou o interesse pela pintura ainda na primeira infância quando, ao participar de uma ação social no hospital onde fazia exames de rotina, viu crianças brincando com tinta e papel. Aos sete anos também mostrou interesse pela música, ganhando o primeiro teclado aos 13. A família mudou da cidade natal para São Luís para que o filho pudesse estudar e se dedicar à pintura. Na capital, ele concluiu o ensino médio aos 16 anos; no ano seguinte ingressou na faculdade de designer e atualmente está no 6º período do curso.

    “Pretendo focar na minha arte para mostrar a outras pessoas com deficiência, principalmente crianças e adolescentes, que é possível fazer arte independente de qualquer deficiência ou limitação física”, ressaltou. Ele disse que costuma fazer exposições em escolas, onde também fala sobre sua experiência como pintor, músico e outras habilidades. “Vamos a esses locais e participamos de ações sociais para mostrar às crianças e jovens que é possível fazer o que a gente gosta. É muito gratificante ouvir pais relatando que os filhos, inspirados na minha história, passaram a gostar da pintura, da música, de praticar esporte, de jogar futebol”.

    É no ateliê em casa que ele pinta e todas as telas são publicadas na internet, no instagram lucasluciano.silva. O artista explica que por meio da pintura procura mostrar a força de vontade de pessoas com deficiência, “que não têm muita oportunidade; que estão em casa sem poder sair”, afirma. Para o artista, a exposição em cartaz na galeria Galeria Celso Antônio de Menezes é uma oportunidade para mostrar seu talento ao grande público.

    Lucas Luciano também é um dos 25 artistas plásticos que integram a Galeria Floriano de Araújo Teixeira, inaugurada no último dia 09 de novembro, no Fórum Des. Sarney Costa. As 25 obras, que ficarão em exposição permanente no local, foram doadas para o acervo do órgão. A tela “Arara a Observar” foi pintada com os pés, em 2017, aplicando a técnica acrílica sobre tela. ”É gratificante ter uma tela nessa galeria, ao lado de vários artistas plásticos já conhecidos; é uma grande oportunidade de divulgação do meu trabalho”, comemora o artista.

    As atividades da I Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência, promovida pelo TJMA, vão até o dia 26 de novembro, com seminário temático, mostra cultural, campanha de arrecadação de alimentos e itens de higiene, além de reuniões com entidades representativas e servidores e servidoras do Judiciário portadores de deficiência. Parte da programação é on-line.

     

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!